Menu fechado

Posto da Justiça do Trabalho continuará em Campos do Jordão

Despacho do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região garantiu a permanência do posto de Campos do Jordão. A decisão foi tomada pela Desembargadora Gisela Magalhães Rodrigues de Moraes, no último dia 11 de julho.

Os poderes Executivo e Legislativo municipais não mediram esforços para reverter a situação e tendo a Prefeitura informado ao juízo que além de manter o pagamento do aluguel do prédio, a cessão de funcionários, limpeza e segurança, passará a assumir, também, as despesas com internet, sistema de vigilância e outras, a decisão foi revertida.


O fechamento de postos de trabalho no país, tem sido uma constante neste ano, depois que o governo federal diminuiu as verbas de manutenção.

A notícia de que os trabalhadores e empresários de Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí e Santo Antônio do Pinhal, teriam que recorrer ao Posto em Pindamonhangaba, provocou inúmeros protestos de entidades como a Câmara Municipal, a Prefeitura, o deputado federal Luiz Carlos Motta, a OAB, a Associação dos Advogados de Campos do Jordão, sindicatos como o Sechotel e o Sincomerciarios, e muitos outros, que se uniram em defesa da permanência do posto.

Para o vereador Ricardo Malaquias Pereira Júnior, quem encampou a defesa da permanência do posto desde o princípio, “a decisão irá beneficiar, sobretudo, a população mais pobre que conta com processos trabalhistas correndo na justiça do trabalho. Caso o posto fosse fechado, como foi anunciado pelo governo, muitos trabalhadores teriam que ir para Pindamonhangaba dar continuidade nos processos, o que geraria custos e provavelmente faria com que muitos abandonassem e deixassem de receber seus direitos. A permanência do posto na cidade é uma conquista da boa política. Fico satisfeito ao ver que a soma de esforços de várias instituições e entidades foi o que fez sermos ouvidos. A manutenção do posto é uma conquista de todos para a população de Campos do Jordão”, declarou o vereador.